quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

"Aquele que imagina que todos os frutos amadurecem ao mesmo tempo, como as cerejas, nada sabe a respeito das uvas." Nada existe que não venhamos a descobrir" .


A Unidade existe em toda a parte, onde Leis Sábias reflectem a existência da Vida Una, na qual vivemos, temos o nosso ser e nos movimentemos. Tudo obedece a essa Unidade, menos o ser humano. 
Por isso, ele vive em guerra consigo mesmo e com os outros, inclusive com toda a criação.



                        Chegamos em 2013.


Quem poderia supor ? E, assim reiniciaremos nossa transformação, rumo ao conhecimento que ainda nos é obscuro... ou que tomamos apenas noção "en passant".

O pensamento busca explicações... estamos ligados ao Cosmos, e através dele - encontramos novas descobertas e porquês.... úteis, que deverás, nos trazem argumentos, susceptíveis conforme nossas crenças.

Assim, na minha busca pelo não descrito, nos meios televisivos... através de outras buscas, deparei-me com esse brilhante ser: Médico, astrólogo, químico - fundador da Bioquímica, teólogo, alquimista e ocultista; educado uma parte sua vida em um mosteiro, de Santo André, na Savóia..

Uma figura no mínimo intrigante, chamada:Phillipus Aureolus Theophrastus Bombastus von Hohenheim, cujo pseudônimo era Paracelso.




ASSIM DIZIA PARACELSO
                             (1.493-1.541)



 I

Se, por um espaço de alguns meses, observares rigorosamente as prescrições, que se seguem, ver-se-á operar, em tua vida uma MUTAÇÃO TÃO FAVORÁVEL, que nunca mais poderás esquecê-las. Mas, meu irmão, para que obtenhas o êxito desejado, é mister que adaptes tua vida à estrita observância destas regras.

São simples e fáceis de seguir, mas é preciso observá-las com a máxima perseverança. Julgarás que a felicidade não vale um pouco de esforço? Se não és capaz de pores em prática estas regras, tão fáceis, terás o direito de te queixares do destino? Será tão difícil a tentativa de uma prova? ]

São regras legadas pela antiga Sabedoria e há nelas mais transcendência do que simplicidade, como parece à primeira vista.

 II

Antes de tudo, lembra-te de que não há nada melhor do que a saúde.
Para isso deverás respirar, com a maior freqüência possível profunda e ritmicamente, enchendo os pulmões, ao ar livre ou defronte de uma janela aberta. Beber quotidianamente, a pequenos goles, dois litros de água, pelo menos; comer muitas frutas; mastigar bem os alimentos; evitar o álcool, o fumo e os medicamentos, salvo em caso de moléstia grave. Banhar-se diariamente, é um hábito que deverás à tua própria dignidade.

 III

Banir absolutamente de teu ânimo, por mais razões que tenhas, toda a idéia de pessimismo, vingança, ódio, tédio, ou tristeza. Fugir como da peste, ao trato com pessoas maldizentes, invejosas, indolentes, intrigantes, vaidosas ou vulgares e inferiores pela natural baixeza de entendimentos ou pelos assuntos sensualistas, que são a base de suas conversas ou reflexos dos seus hábitos. A observância desta regra é de importância DECISIVA; trata-se de transformar a contextura
espiritual de tua alma. É o único meio de mudar o teu destino, uma vez que este depende dos teus atos e dos teus pensamentos: A fatalidade não existe.

 IV


Faze todo bem ao teu alcance. Auxilia a todo o infeliz sempre que possas, mas sempre de ânimo forte. Sê enérgico e foge de todo o sentimentalismo.

 V

Esquece todas as ofensas que te façam, ainda mais, esforça-te por pensar o melhor possível do teu maior inimigo. Tua alma é um templo que não deve ser profanado pelo ódio.

 VI

Recolhe-te todos os dias, a um lugar onde ninguém te vá perturbar e possas, ao menos durante meia hora, comodamente sentado, de olhos cerrados, NÃO PENSAR EM COISA ALGUMA. Isso fortifica o cérebro e o espírito e por-te-á em contanto com as boas influências. Neste estado de recolhimento e silêncio ocorrem-nos sempre idéias luminosas que podem modificar toda a nossa existência. Com o tempo, todos os problemas que parecem insolúveis serão resolvidos, vitoriosamente por uma voz interior que te guiará nesses instantes de silêncio, a sós com a tua consciência. É o DEMÔNIO de que SÓCRATES falava.
Todos os grandes espíritos deixaram-se conduzir pelos conselhos dessa voz íntima. Mas, não te falará assim de súbito; tens que te preparar por algum tempo, destruir as capas superpostas dos velhos hábitos; pensamentos e erros, que envolvem o teu espírito, que embora divino e perfeito, não encontra os elementos que precisa para manifestar-se.

 VII


A CARNE É FRACA Deves guardar, em absoluto silêncio, todos os teus casos pessoais. Abster-se como se fizesses um juramento solene, de contar a qualquer pessoa, por mais íntima, tudo quanto penses, ouças, saibas, aprendas ou descubras.
É UMA REGRA DE SUMA IMPORTÂNCIA.

 VIII

Não temas a ninguém nem te inspire a menor preocupação a dia de amanhã. Mantém tua alma sempre forte e sempre pura e tudo correrá e sairá bem. Nunca te julgues sozinho ou desamparado; atrás de ti existem exércitos poderosos que tua mente não pode conceber. Se elevas o teu espírito, não há mal que te atinja. Só a um inimigo deves temer: A TI MESMO.


O medo e a dúvida no futuro são a origem funesta de todos os insucessos; atraem influências maléficas e, estas, o inevitável desastre. Se observares essas criaturas, que se dizem felizes verás que agem instintivamente de acordo com estas regras. Muitas das que alegam que possuem grandes fortunas podem não ser pessoas de bem, mas possuem muitas das virtudes acima mencionadas. Demais, riqueza não quer dizer felicidade; pode se constituir em um dos melhores fatores,porque nos permite a prática de boas ações, mas, a verdadeira felicidade só se alcança palmilhando outros caminhos, veredas por onde nunca transita o velho Satã da lenda, cujo nome verdadeiro é EGOÍSMO.

 IX

Não te queixes de nada e de ninguém. Domina os teus sentidos, foge da modéstia como da vaidade; ambas são funestas e prejudiciais ao êxito.
A modéstia tolherá tuas forças e a vaidade é tão nociva como se cometesses um pecado mortal contra o ESPÍRITO SANTO. Muitas individualidades de real valor tombaram das altas culminâncias atingidas, em conseqüência da Vaidade; a ela deveram certamente a sua queda Júlio César, aquele homem extraordinário que se chamou Napoleão e muitos outros.Oxalá, sigas sempre estas poucas regras para a tua FELICIDADE, para o teu BEM e a nossa ALEGRIA.



Biografia:



Paracelsopseudônimo de Phillipus Aureolus Theophrastus Bombastus von Hohenheim, (Einsiedeln17 de dezembro de 1493 — Salzburgo24 de setembro de1541) foi um médicoalquimistafísicoastrólogo e ocultista[1] suíço-alemão.[2] A ele também é creditado a criação do nome do elemento zinco, chamando-o dezincum.[3][4]
Seu pseudônimo significa "superior a Celso (médico romano)". Entre todas as figuras erráticas do renascimento, a de Paracelso está pontada pela agitação da sua vida e pela a incoerência das suas opiniões e doutrinas.

No estudo da sua biografia, facto tem sido gradualmente separado da fantasia, mas nenhum acordo foi alcançado no que respeita bem quanto à natureza e sentido de seu ensino. 

Ele é considerado por muitos como um reformador do medicamento. Outros elogiam suas realizações em Química e como fundador da Bioquímica.



Visão e doutrina


A distinta natureza da filosofia de Paracelso é consequência da visão cosmológica, teológica, filosofia natural e medicina à luz de analogias e correspondências entre macrocosmos e microcosmos. 

As especulações acerca dessas analogias tinham seriamente empenhado a mente humana desde o tempo pré-Socrático e Platônico e durante toda a Idade Média. Paracelso foi o primeiro a aplicar essas especulações para o conhecimento da natureza sistemática.
Isso associado com a singular posição que ele assume no que diz respeito à teoria e à prática de aquisição de conhecimentos em geral, quebrou longe do ordinário lógico, antigo e medieval e moderno, seguindo as suas próprias linhas, e é nisto que muito do seu trabalho naturalista encontra explicação e motivação.






Ninguém pode negar os poderes dos astros e sua influencia sobre todos os mortais de nossa terra. 


É certo que se os planetas e os astros superiores tem capacidade de exercer suas influencias sobre os humanos, como não há de ser possível que eles mesmos rejam outras coisas tais como metais, pedras, imagens e os minerais? Desde logo que estas forças se imprimem em tudo. 


É possivel para o homem reunir e agrupar estas forças em algum meio, para poder manejá-las; seja este meio um metal, uma pedra, um mineral ou uma imagem.



Ele também inventou um alfabeto chamado "Alfabeto dos Reis Magos" e esculpiu nos talismãs nomes angelicais.

Na sua visão hermética, a doença e a saúde do corpo dependem da harmonia do homem com o microcosmo e a Natureza do macrocosmo.




Paracelso descreve a força vital como uma emanação dos astros.


O Sol está em relação com o coração, a lua com o cérebro, Júpiter com o fígado, Saturno com o baço, Mercúrio com os pulmões, Marte com a bilis e Venus com os rins e os orgãos de geração.


Ele aparece entre cientistas e reformadores como Andreas VesaliusNicolau Copérnico e Georgius Agricola, e, portanto, é visto como um moderno. Por outro lado, sempre possuiu uma aura de místico e até mesmo obscura reputação de mágico.



A fama de Paracelso aumentou com as suas curas milagrosas e, após sua morte, a sua fama cresceu ainda mais. 

Um século depois, centenas de textos paracelsianos foram publicados, referindo-se quase todos a medicamentos químicos. No final do século XVI, existia já uma imensa literatura sobre a nova matéria médica. 

Devido ao facto de a abordagem médica de Paracelso diferir tanto daquilo que era aceitável até então, estabeleceu-se uma enorme confrontação entre os paracelsianos e o sistema médico oficial em vigor até então, confrontação aguçada pelo impacto provocado pelos humanistas, que desdenhavam das obras de Dioscorides e de Plínio, ambos muito populares no final da Idade Média, e enalteciam trabalhos menos conhecidos, especialmente os tratados de fisiologia e anatomia de Galeno. 

Muitos médicos seguidores de Paracelso eram alemães; na França, a confrontação foi mais agravada pelo facto de muitos médicos paracelsianos serem huguenotes (protestantes, partidários de Calvino); na Inglaterra, tal confrontação foi menos tempestuosa, tendo sido adotados os medicamentos químicos, que eram utilizados simultaneamente com medicamentos tradicionais galênicos.

Faleceu em 24 de setembro de 1541 com apenas 47 anos, em um hospital, sonhando ter fabricado o Elixir da Vida

A causa de sua morte não foi esclarecida. 

Uma hipótese é que teria sido assassinato em 1541, como foi evidenciado na exumação de seus ossos, que mostrou uma fratura no crânio.

 O corpo foi velado na igreja de São Sebastião e, de acordo com o seu último desejo, foram entoados os salmos bíblicos 1, 7 e 30.



Paracelso foi um astrólogo, assim como muitos (se não todos) dos físicos europeus da época. 


A Astrologia foi uma parte muito importante da Medicina de Paracelso. 

Em um de seus livros, ele reservou várias seções para explicar o uso de talismãs astrológicos na cura de doenças. 

Criou e produziu talismãs para várias enfermidades, assim como talismãs para cada signo do Zodíaco. 

Ele também inventou um alfabeto chamado "Alfabeto dos Reis Magos" e esculpiu nos talismãs nomes angelicais.

Na sua visão hermética, a doença e a saúde do corpo dependem da harmonia do homem com o microcosmo e a Natureza do macrocosmo.


De acordo com Paracelso, a cura apóia-se em quatro bases distintas: filosofia, astronomia, alquimia e virtus.




A filosofia significa: abrir-se ao conjunto das forças naturais, observar essas forças invisíveis na penetração da realidade total e perceber o invisível no visível.


A astronomia explica as influências dos astros na saúde e nas enfermidades.


A alquimia torna-se útil no preparo dos medicamentos.



Saibam então que todos os sete metais são nascido de uma matéria tripla, a saber: mercúrio, enxofre e sal, mas com coloridos peculiares e distintos”.


Ele rejeitava as tradições gnósticas, mas manteve muitas das filosofias do Hermetismo, do neoplatonismo e de Pitágoras; de qualquer modo, a ciência Hermética tinha tantas teorias aristotélicas que a sua rejeição do Gnosticismo era praticamente sem sentido.


Em particular, Paracelso rejeitava as teorias mágicas de Agrippa e Flamel. Ele não se achava um mago e desprezava aqueles que achavam que fosse.


Paracelso fazia freqüentes associações entre Magia e Imaginação.

"O visível esconde o invisível, mas apesar disso conseguimos o invisível apenas através do visível", dizia.


Nesse caso, magia significa a ação direta sobre as pessoas e todos os seres, sem ajuda da matéria. 


Ou seja, o mago é capaz de causar efeitos físicos sem ajuda física. 


No livro Paracelso - Alquimista, Químico, Pioneiro da Medicina, o historiador e filósofo Lucien Braun, cita: "toda natureza invisível se movimenta através da imaginação. 


Se a imaginação fosse forte o suficiente, nada seria impossível, porque ela é a origem de toda magia, de toda ação através da qual o invisível (de um ou outro modo) deixa seu rastro no visível. 


A energia da verdadeira imaginação pode transformar nossos corpos, e até influenciar no paraíso...".



O termo virtus é uma alusão a honestidade do médico que, através do raciocínio de Paracelso, é uma pessoa em constante evolução e aperfeiçoamento, e deve reconhecer a ação da natureza invisível no doente ou, em se tratando do remédio, como atua no plano visível. 


Assim, o conhecimento médico tem menos a ver com conhecimento intelectual do que com a intuição.











Referência:

1- http://www.novaera.org/saude/palavras_de_paracelso.htm

2-  http://apanaceiaessencial.blogspot.com.br/2012/10/paracelso.html

3-  http://pt.wikipedia.org/wiki/Paracelso

4-  http://apanaceiaessencial.blogspot.com.br/2012/10/paracelso.html

5-  http://simbolosalquimia.blogspot.com.br/2007/12/paracelso-1493-1541.html

6-  http://www.fraternidaderosacruz.org/ddc_paracelso_palestra_1_11_1993.htm



Símbolos Angelicais criados por Paracelso

















                                                Até breve...
                           
                             Obrigadu pela visita...

4 comentários:

  1. Interessante esta tenue explanação sobre Paracelso
    Pouco exaustiva e o bastante ,para nos enteirarmos na simbologia do Renascimento ai aconselho a ler "Umberto Eco " ( Conhecido pelo seu livro " O Nome da Rosa "
    Mas como antropologo ele e Levi Strauss fizeram um trabalham exustivo sobre as codificaçoes eclisiasticas alias de recente produção saiu o " Codigo de Vinci"
    Parabens

    ResponderExcluir

  2. Obgadu pelo comentário...Jorge

    Bem lembrado ver Humberto Eco , também achei um pouco extensa, mas se reduzisse os preceitos dele ficariam incompletos...

    O sentido das coisas,e a percepção dpo quie acontece ao nosso redor....deve ser aprimorado, e a intuição é um canal dinâmico, e eficaz para nossa ação...

    Abçs...Volte mais vezes!!

    ResponderExcluir
  3. Interessante viver de acordo com as 9 prescrições, talvez o mundo fosse melhor hoe.
    Beijos, Amada!!!

    ResponderExcluir


Obrigada pela presença, caso queira deixe seu comentário.

Até a próxima postagem! ABRAÇOS FRATERNOS ...

A vida segue seu fluxo ... Nada muda sem que você não permita!

A vida segue seu fluxo ... Nada muda sem que você não permita!
Que lugar é esse ? One club of The chess... greast ...